sábado, 24 de março de 2012

24/03/2012 - Pensamentos vão e vem...

Início do registro 24/03/2012 
 
Após mostrar para S. o meu primeiro registro do diário, que ela adorou por sinal, ela me incentivou para que continua-se escrevendo, e monta-se um blog, registrando diariamente meus pensamentos e os acontecimentos desde agora até o período que estarei em castidade controlada.

Acho interessante porque vou poder registrar as mudanças, as descobertas, das fantasias de agora, até a realidade de amanhã, sabemos que fantasia e realidade são, 99% das vezes, diferentes, não quer dizer que a realidade vai ser ruim, pode ser ainda melhor e mais surpreendente.

Ontem falamos muito sobre a castidade controlada, as idéias eram muito excitantes, e mais tarde na hora que ela voltou do pós-graduação a gente foi transar, parece que a excitação de tudo que pensamos estava lá, ambos excitados, sedentos, loucos para transar, não havia cinto de castidade ou controle na cena, só um casal pelado e muito excitado, confesso que estava maravilhoso tudo, meu pau pulsava ereto, a buça dela estava linda, molhada, sugando ele, foi uma transa super gostosa, o cheiro, o gosto, os beijos, a pegada... E enquanto estocava ela com minha ereção passava pela minha cabeça "Será que vou ser realmente privado disso? controlado? proibido de ter uma simples ereção?" Nós transávamos e eu provocava ela dizendo que minha garantia de não ficar preso por períodos longos de castidade era que ela não aguentaria ficar sem meu pau comendo ela gostoso daquele jeito. Mas será que posso acreditar nisso? Ela ficou calada. De qualquer forma tentei aproveitar cada pequena parte de tudo, e isso intensificou a cena, como um preso no corredor da morte comendo sua última refeição. Ele deve aproveitar bem agora, porque amanhã provavelmente ele não terá mais aquilo a sua disposição.

Ainda não sei o que esperar, ou melhor a incerteza do que terei que aguentar:
 
 
A foto ilustra como é um CB-6000S em pleno funcionamento.

Pelo menos duas coisas básicas são negadas quando você usa um dispositivo de castidade como aquele que vou usar, o primeiro é:

Ereção: Você fica preso de uma forma que não consegue ficar ereto, algo tão básico e gostoso como uma ereção é totalmente negado. E como eu gosto de ter ereções, ereções são uma fonte de prazer para mim, até consigo aguentar sem orgasmo por um tempo, desde que eu tenha o prazer da ereção. Sentir o pênis duro e pulsando sempre foi algo que me trouxe prazer e satisfação, algumas vezes na cama, quando estou com insônia, brinco com meu pênis para provocar uma ereção, aquilo é uma fonte de prazer, fica muito mais fácil relaxar e dormir. Algumas vezes já me masturbei só para ter a ereção, não queria gozar, somente manter ele ereto e pulsando, sentir o prazer daquilo. Ser privado de ereções é um território desconhecido, um pouco assustador, não sei ou tenho ideia de como funciona, como será suportar isso? E quantos dias é possível suportar? Me parece uma privação e tanto. Em algum momento terei a resposta.

Depois vem o tão famoso:

Orgasmo: Controle de orgasmo, o objetivo final do dispositivo de castidade, desde que aprendi a me masturbar quando adolescente, não lembro de ter ficado mais de um ou dois dias sem orgasmo, quando mais novo, gozava até várias vezes ao dia, até os 25 anos devo ter me masturbado todos os dias, mesmo agora, se as coisas estão corridas e ficamos sem sexo por 2 ou 3 dias, eu acabo me masturbando no banheiro para aliviar a pressão. Então na prática, mesmo que não perceba, estou a mais de 20 anos tendo orgasmos quase diários e irrestritos, e ser exposto a um período de controle de orgasmo vai ser algo com consequências desconhecidas. Sem mais masturbação para me aliviar. Esse ponto aposto que secretamente S. adorou, poder controlar minhas masturbações, negar elas, direcionar-me de uma forma que toda e qualquer fonte de prazer seja somente S.. Anulada qualquer forma ou chance de gozar sem o consentimento de S., acredito que mais cedo do que imagino vou sentir com intensidade qual a sensação que é ficar privado de orgasmos, a ideia me excita. 

Sem Ereção e sem Orgasmos: o que esperar? se S. me pergunta-se hoje quais os limites de um contrato inicial de jogo eu ainda não saberia dizer, sem experimentar. Nunca fui trancafiado e privado de ereções e orgasmos. Será que 2 dias é muito? 3? 5? Uma Semana? Duas Semanas? O que nós queremos desse jogo? Claro no final é trazer muito prazer para ambos, curtimos nossa sexualidade, nosso amor mútuo.

Temos a cabeça aberta para jogar um jogo de castidade, a ideia nos excita e muito. O objetivo final? ainda é algo totalmente desconhecido, e para falar a verdade não temos pressa de descobrir, o gostoso é o caminho, percorrer, viver, curtir, sem se preocupar demais em estabelecer o final antes de conhecer a estrada.

Provavelmente, no final da experiência, castidade controlada vai ser algo entre:
- "Não é nada de mais". A nossa conclusão é que castidade controlada é somente legal para algumas horas de privação, uma brincadeira sexual entre tantas outras.; e/ou
- "É tudo de bom". S. com os olhos faiscando dizendo: "Foi a melhor experiência da nossa vida, tudo que desejo agora é manter teu pau trancado na gaiola e jogar a chave fora."
Acho que encontraremos um meio termo...rsrsrsrsrsrsrsrs
Bom nós adoramos a frase "Nunca diga Nunca."

Fim do registro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário