quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Outro Conto sobre Bondage - 2ª Parte

Em novembro de 2012 foi publicado aqui no blog o conto "Huntress - Capítulo 1: O Sequestro por encomenda."

http://casalbondage.blogspot.com.br/2012/11/outro-conto-sobre-bondage.html

Meses mais tarde foi possível conferir que rapidamente esta postagem se tornou a 2ª mais popular de todo o blog, isso significa que estatisticamente é o 2º Post mais acessado. Atualmente este blog alcançou a marca de 22.000 acessos, o que é motivo de alegria.

Então nós vamos publicar o 2º Capítulo deste conto, a história completa de "Huntress" deve ter pelo menos 5 capítulos.

Lembrando aos leitores este é um conto ficcional, versando sobre as temáticas bondage, fantasias de rapto ou sequestro e dominação forçada. Assim como no primeiro capítulo cabe aqui esclarecer que o conto não é erótico no sentido convencional, mas sim uma história de sequestro e suspense. Eu, "P", no entanto confesso ter ficado muito excitado escrevendo a história.

Temas: Conto de ficção sobre dominação feminina, dominação forçada, rapto ou sequestro, bondage, camisa de força, mordaça.


Huntress

Capítulo 2: Sim, Eu Quero Ser Sequestrado.

Passara-se mais de um mês, e aquela experiência insana de sequestro ainda estava plenamente viva, presente em sua mente, ele tentava imaginar Huntress, tudo aquilo que ela falou seria verdade, quem era ela? Seria ela uma profissional elaborando uma fantasia? seria ela a sequestradora que deixou ele completamente desconcertado?
Ele tinha fixação por bondage, sentia verdadeira excitação por ser amarrado, e aquela experiência havia sido a mais incrível de sua vida. Era inevitável para ele ficar fantasiando excitado a situação de novamente estar amarrado nas mãos de huntress.
Ele tentou novo contato com a "Companhia do Sequestro", disseram que Huntress estava afastada e que não forneciam contatos de seus colaboradores.
Mas uma mensagem instantânea recebida pela internet, as 22:00 de uma terça-feira iria mudar tudo para ele.
@huntress solicita permissão para ser seu amigo.
@Pedro aceitou a solicitação.
@huntress: Você queria falar comigo Pedro?
@Pedro: Huntress? é você mesmo? (Ele respondeu surpreso)
@huntress: Sim, recebi o recado de que você me procurava.
@Pedro: Como você me achou? Você sabe meu nome?
@huntress: Eu sei muitas coisas sobre os clientes que sequestro, é parte do trabalho.
@Pedro: Eu queria que você me sequestrasse novamente, tem que ser você, não consigo tirar aquela experiência da minha cabeça.
@huntress: Então você gostou da experiência? todos bondagistas que conheço gostam daquela brincadeira, e a resposta é bem simples, porque ao final do dia dormem na sua cama quentinha, foi a fantasia que pediram, a realidade é bem diferente.
@Pedro: Realidade?
@huntress: Aquele dia, tudo que falei, cada palavra era real, o que eu curto, o cativeiro, te sequestrar, só não te levei comigo, e te soltei naquela garagem, porque eu preciso do consentimento inicial das minhas vítimas, elas precisam saber exatamente no que estão se metendo, e você não sabia.
@Pedro: Tudo é verdade? (Pedro imaginava-se mumificado no porão de Huntress e sentia seu membro latejando excitado).
@huntress: Sim, você quer ser sequestrado novamente? 
@huntress: Mas com uma grande diferença, daquela vez o sequestro foi realizado pelas suas regras, sua fantasia, você pagou por isso.
@huntress: Agora você não paga nada, o sequestro fica por minha conta, pelas minhas regras, já que vamos viver a minha fantasia.
@Pedro: Quero. (Pedro responde sem pensar muito, agora ele já está imaginando a si mesmo mumificado nas mãos de huntress ao mesmo tempo que se masturba sentado em frente ao computador.)
@huntress: Calminha mocinho, vamos estabelecer algumas regrinhas antes de você conceder o sim.
@huntress: Preste bem atenção na minhas palavras, se eu te sequestrar, você será amarrado, amordaçado e levado a meu cativeiro secreto, você não saberá onde está, não terá chance de escapar, não terá como se comunicar com ninguém além de mim, você não saberá quanto tempo se passou, nem mesmo se é dia ou noite, e este sequestro não tem limite de duração, isto significa que eu posso te manter pelo tempo que desejar, é muito importante você saber que não existe chance de arrependimento, isto é, mesmo se você pedir para eu te soltar eu não vou. Você está entendo? Isto é real. 
@huntress: Eu não vou te machucar fisicamente ou abusar de ti. No entanto, espere passar incontáveis horas imobilizado e confinado em algum tipo de sala ou cela. Ficar amarrado e amordaçado por longos períodos a fio sozinho será algo normal.
@huntress: Coisas simples como ter permissão para comer, beber, ir ao banheiro, se mover ou o simples ato falar serão rigidamente controlados segundo as minhas regras.
@Pedro: Sim, estou entendo. (As palavras escritas por huntress entraram rápido na imaginação de Pedro que já esta muito excitado, e se masturba vigorosamente, não consegue pensar muito além da imaginação de ser dominado e amarrado por ela.)
@huntress: Tudo aquilo que falei, aquilo que ameacei fazer contigo da outra vez irá de fato acontecer, será real, só que agora será segundo as minhas regras, da outra vez eu joguei o jogo dentro dos seus limites, agora você jogará de acordo com os meus limites, as minhas vontades e os meus desejos.
Pedro lê as palavras de Huntress na tela, sua imaginação voa livre, como alguém lendo um conto erótico.
@huntress: Você entendeu tudo que eu escrevi aqui Pedro?
@huntress: Pedro? (passara-se mais de 2 minutos sem resposta)
@Pedro: Entendii (Pedro a esta altura estava quase tendo um orgasmo com tudo aquilo.)
@huntress: Certo, vamos então ao que interessa, o que preciso agora é de seu sim, se você entende as regras e quer ser sequestrado, escreva a seguinte frase na próxima mensagem:
"Eu, Pedro, entendi claramente todas as regras explicadas e concordo em ser sequestrado por Huntress, esta decisão é definitiva e irrevogável, sim, eu quero ser sequestrado."
@huntress: Escreva esta frase no chat e seu sonho se tornará realidade.
Pedro acompanha cada linha do chat com excitação, revivendo mentalmente os momentos que havia passado nas mãos de Huntress ao mesmo tempo que masturba vigorosamente seu membro.
@huntress: Te dou 3 minutos para responder.
O que Pedro sentia naquele momento era muito tesão, muito vontade de ser amarrado e amordaçado, e sua reação foi automática, instintiva.
@Pedro: Eu, Pedro, entendi claramente todas as regras explicadas e concordo em ser sequestrado por Huntress, esta decisão é definitiva e irrevogável, sim, eu quero ser sequestrado.
@huntress: Muito bem Pedro, seu desejo será atendido, agora antes de começar será necessário acertarmos alguns detalhes.
A cabeça de Pedro estava longe naquele momento, sua imaginação o conduzia nas mais sombrias fantasias bondagistas, quando de súbito ele sentiu um forte orgasmo tomando seu corpo, ondas de prazer e o jorro de esperma quente, enquanto ele estimulava seu pênis rijo como uma rocha.
Passados não mais do que 30 segundos de seu gozo, com a diminuição da excitação pós-orgasmo e Pedro já começava a voltar à razão, além do sêmen que sujava suas mãos, uma releitura do histórico de mensagens do chat, era suficiente para que ele começa-se a reavaliar.
Do outro lado da tela Huntress continuava as mensagens.
@huntress: Sei que você é solteiro e mora sozinho, precisa arrumar sua casa que vai ficar fechada, precisa pensar em alguns detalhes, então você precisa me dizer quando posso ir te buscar.
Pedro relia agora sem a excitação sexual, e aquela proposta parecia muito mais insana do que antes, não podia fazer aquilo, ele sequer conhecia aquela mulher o suficiente para assinar aquele cheque em branco.
@huntress: Então quando posso te buscar? O que você precisa para se preparar? Quero te fazer uma surpresa.
Reavaliando a conversa Pedro agora concluía que claramente estava cometendo um erro, viver uma fantasia bondagista com Huntress durante um dia ou final de semana seria muito excitante, mas aquilo que Huntress exigia era demais, afinal não havia garantia ou certeza de nada, além do mais ele iria ser sequestrado e retirado do mundo, ele tinha responsabilidades, tinha seu trabalho, aquilo soava bem somente no mundo da fantasia.
@huntress: Ei! Se você não responder eu mesma vou decidir.
Pedro se sentiu constrangido, ele era bondagista, adorava seu fetiche, mas aquela conversa com Huntress estava fora dos limites, tudo aquilo. Que bobagem ele havia feito, prometer aquilo era maluquice.
Pedro abruptamente fechou a janela de chat.
@Pedro excluiu @huntress da sua lista de amigos.
@Pedro bloqueou todas as mensagens vindas de @huntress.
Pedro suspirou pensando naquilo tudo, estava triste.
Percebeu que era tarde da noite, foi deitar em sua cama, demorou para dormir, estava chateado.
Sua consciência estava pesada, deveria dar ao menos uma explicação para Huntress, e prometeu a si mesmo, iria escrever um email pela manhã, uma longa mensagem explicando tudo aquilo, esclarecendo que ele não podia prometer algo que não poderia cumprir, iria pedir desculpas por tudo, pela conversa, por ter bloqueado ela daquela maneira e principalmente pela falsa promessa.
Por fim, ele adormeceu.
Sonhou muito, tudo muito confuso, maluco, o primeiro sonho foi de um escorpião mordendo seu pescoço, ele jurava que havia sentido a picada.
Huntress estava lá, Huntress estava em todos os sonhos daquela noite, ela o amarrava, amordaçava e o levava, o sequestro, ele sonhava com o seu sequestro.
Foi uma noite desconfortável, os sonhos, tinha muitos sonhos mas nunca conseguia acordar, sentia muito sono, um sono incapacitante, estava sem forças para reagir.
Não sabia dizer quanto tempo havia passado quando finalmente recobrou a consciência, sentia seu corpo um pouco dolorido, abriu seus olhos e não reconheceu seu quarto, estaria ele ainda sonhando?
Estava deitado no chão de cimento, na verdade tudo ali era cimento, ele estava em um quarto sem janelas, as paredes eram feitas apenas de tijolo vermelho e cimento, sem qualquer reboco.
Pode perceber apenas duas pesadas portas de ferro que estavam fechadas, cada uma em um lado oposto do quarto, sentiu seu coração disparar no mesmo instante, aquilo só podia ser mais um sonho.
A primeira reação que teve foi tentar abrir seus braços, só então percebeu que era impossível pois estava vestindo uma camisa de força branca, ela estava firmemente amarrada em seu corpo, seus tornozelos estavam amarrados com tornozeleiras de couro.
Instintivamente ao perceber sua situação ele gritou, mas somente emitiu sonhos abafados por uma pesada mordaça que preenchia sua boca.
- MMMPPPHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH, MMPPPPPHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH.
Fechou os olhos novamente, desejando do fundo de seu coração que tudo aquilo fosse mais um sonho naquela noite maluca.
Abriu e fechou os olhos várias vezes, e o tempo foi passando, mas ele nunca acordava.
Aquilo não era possível, não podia ser verdade.
Examinou detidamente a sua volta, percebeu que não havia qualquer som do mundo exterior, nenhuma pista.
A luz era fraca e vinha de uma pequena lâmpada pendurada por um fio no teto, o que contribuía para o aspecto assustador daquela cena.
Em um canto superior havia um pequeno monitor de LCD quase na altura do teto, ele estava desligado e acima dele havia uma câmera de vigilância.
Subitamente, como que por encanto, o monitor de LCD ligou, a imagem projetada era a filmagem ao vivo da câmera de vigilância, a imagem de Pedro amarrado e amordaçado no chão de cimento.
O coração de Pedro batia acelerado, tinha a sensação de que iria pular de seu peito, ele tentou gritar novamente através da mordaça.
- MMMPPPPPHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH.
Ele estava realmente sequestrado, uma sensação de desespero, era isso que ele sentia agora.
Finalmente ele entendeu que todos os sonhos que ele teve durante a noite eram reais, Huntress, tudo aquilo, tudo aconteceu realmente.
Era difícil lembrar dos detalhes daquela noite, só podia concluir que ele havia sido dopado, o leve dolorido que ele sentia no pescoço não era a picada de escorpião de seu sonho, mas uma picada de agulha.
Mas como? Como ela entrou? Como ela conseguiu fazer tudo aquilo?
Agora pouco isso importava.
Sua cabeça processava milhares de pensamentos por segundo, sentia ansiedade, raiva, frustração, sentimentos conflitantes, sentia raiva si mesmo, como pode colocar-se em uma situação daquelas, o que ele havia feito, grande parte da culpa de estar ali agora era dele, mas também sentia muito raiva de Huntress.
Passaram-se mais alguns minutos, Pedro ainda tentava se acalmar quando Huntress abrindo uma das pesadas portas de ferro entrou na sala.
Huntress vestia-se no melhor estilo vilã de histórias em quadrinhos, toda de preto, botas e luvas de couro, e a mesma toca ninja cobrindo seu rosto, somente era possível ver seus olhos e boca.
Seus lábios sorriam de satisfação, parecia alguém que acabará de ganhar um presente a muito tempo esperado.
- Como tu não falou o dia que eu poderia ir te buscar, eu mesma decidi por você, espero que tenha gostado, "Surpresaaaaaa!!!!" (risos)
- Ontem você parecia tão ansioso em me ver que resolvi não esperar mais um minuto.
- Acho que a sua internet caiu não? No final você não respondia minhas mensagens, depois ficou offline sem dizer tchau.
- Mas não importa, não se preocupe, não estou braba com você, pelo contrário, quando fiz aquela proposta de te sequestrar do meio jeito, tinha certeza que você não iria aceitar, você me surpreendeu.
- E agora estamos aqui só eu e você.
- Eu tenho muitos planos para você, você não tem ideia, mas não quero estragar as surpresas que preparei.
- Aqui embaixo, sim, estamos abaixo do nível do solo, estamos em um porão.
- Você ficará segundo as minhas regras, aqui, a lei sou eu, eu decido tudo, eu controlo tudo.
- Confesso que uma boa parte da minha fantasia, envolve controlar, controlar cada pequeno detalhe de você.
Pedro tenta de forma desesperada ter uma conversa com Huntress, explicar que foi um mal entendido.
- MMMmPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPHHHHHHHHHHH. Ele grita sons ininteligíveis.
Huntress replica:
- Aos poucos você vai entender cada uma das minhas regras de controle, uma das básicas que você deve saber é: aqui no meu mundo, sequestrados devem permanecer amordaçados o tempo todo, por dois bons motivos: eu gosto de restringir a fala de minhas vítimas, me causa muito prazer saber que elas não podem falar. Em segundo lugar, como já te falei antes, tenho fixação pelo som, o gemido das mordaças, as súplicas, são música para meus ouvidos.
- É um fetiche incontrolável que tenho, bom você tem os seus, eu tenho os meus, claro que você me compreende.
- Além do mais, tudo que eu precisava ouvir de você, já ouvi ontem a noite, ou melhor li na mensagem de chat que você me enviou, deixa eu lembrar: "Eu, Pedro, entendi claramente todas as regras explicadas e concordo em ser sequestrado por Huntress, esta decisão é definitiva e irrevogável, sim, eu quero ser sequestrado." Foram estas as palavras não foram? 
Pedro ouve tudo em silêncio, petreficado, olhos arregalados.
Huntress sorrindo continua: "Sim, foram estas as exatas palavras, não me esqueci de sua promessa, e pode ter certeza que não irei esquecer. Seja bem vindo.!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário