segunda-feira, 10 de março de 2014

O outro lado da moeda.


Confesso ter um uma admiração especial por cenas que conseguem construir situações incomuns, paradoxos, cenários que podem levar o desejo de gozar ao extremo, mas cobrando um alto preço. Esse por exemplo é o aspecto que mais gosto na castidade forçada, sentir o tesão se acumulando, o desejo ardendo, e saber que somente a minha dominadora pode escolher quando, onde, de que forma e a que custo poderei gozar.

No entanto, da mesma forma que "S." tem poder de negar meu orgasmo (castidade forçada), reconheço que ela tem o poder de facilmente me levar ao orgasmo, e não tenho nenhuma forma de impedir isso (orgasmo forçado), ambas são formas de controle, e já aprendi que quando estou em bondage severo, mumificação, privação de sentidos, isso é muito fácil e rápido.
Na sequência de fotos abaixo, retirada de um antigo website dedicado ao fetiche por latex e bondage, um casal pratica bondage, dominação, e por fim o homem é levado ao orgasmo de uma forma que eu chamaria de diabólica.
 Tudo começa bem, ele é trancado no "bodybag", que nada mais é do que um saco de dormir, justo no corpo e com luvas internas para imobilização.


 Ele é imobilizado apenas com seu pênis excitado exposto para ela "brincar".


 Ele é amordaçado, ela brinca de amarrar o pênis dele, e a cena de bondage continua.

 Ela então, pratica sexo oral com ele, que imobilizado não pode fazer nada além de sentir prazer.


Brincadeiras continuam, e ela usa outro tipo de mordaça, além de uma máscara de gás para brincar de controle respiração.


 Fita adesiva para "enrolar" o pau dele, parece que ela realmente está curtindo a ideia de testar coisas diferentes.


 Então chega a hora de fazer uma manobra inusitada.




Após amarrar muitas voltas de uma forte corda em seu tornozelo ela começa a suspender ele.


 Ele é suspenso de cabeça para baixo, por seus pés, apenas sua cabeça encostando no chão. A princípio parece uma cena sem sentido.





Em seguida, a mulher prende uma mordaça do tipo "open mouth", que obriga que a boca da vítima fique aberta, exposta através de um tubo. Pendurado, imobilizado e exposto, A foto da direita demonstra o objetivo final do plano.


Seu pênis duro e excitado agora aponta diretamente na direção de sua própria boca. No entanto, não é possível fechar os lábios ou sequer fugir naquele momento.
"S." que incontáveis vezes praticou sexo oral comigo esteve nesse posição de forma consensual, com meu cacete pulsante e cheio de sêmen dentro de sua boca, pronto para explodir a qualquer momento. E inúmeras vezes enchi sua boca com meu gozo quente. Confesso que nunca tive pena dela e sempre adorei gozar em sua boca.

Mas agora, diante da cena, me imagino na situação de forma inversa, o "outro lado da moeda", e tudo parece bem mais complicado, quando o gozo vem na direção da sua boca.
É uma cena diabólico ver a mão daquela mulher punhetando ele enquanto sadisticamente aponta o cacete diretamente no "buraco" da mordaça.

Adicione agora, um pouco de castidade controlada, digamos 7 dias sem gozar no cinto de castidade, o tesão seria já praticamente incontrolável, o que tornaria impossível segurar um orgasmo provocado e o pior com toda aquela porra acumulada.


Por um instante imagino a posição daquele homem amarrado, querendo muito gozar, ardendo de tesão, preso em um dilema, se ele se render ao desejo, terá um belo orgasmo e ondas de gozo invadirão seu corpo, em uma explosão de prazer que não poderá ser freada, um caminho sem volta. As consequências, no entanto, serão sentidas imediatamente, o resultado fará seu cacete expelir jatos de gozo em alta velocidade, cada onda de prazer causará um pulso em seu pênis, e este pulso criará uma erupção de sêmen. Tudo não demoraria mais do que 10 segundos, o forte gozo e o preço do atrevimento de ter desejado ele.

Digamos que o resultado seria um homem com a boca cheia de porra. Agora não posso dizer todas, mas imagino que pelo menos algumas poucas mulheres já desejaram isso lá no fundo, fantasiaram um dia de revanche, naquele homem que sempre adorou encher a boca da esposa com seu gozo, fazendo ele provar de seu próprio remédio. O "Outro lado da moeda".

Ok! Eu também achei excitante o conceito e a genialidade da cena, agora aposto que quando a ilusão causada excitação do orgasmo se dissipa-se, só restaria a humilhação do momento e o "produto final" que teria dentro de minha boca, ou seja, arrependimento. Voltamos ao velho ditado, "no dos outros é colírio".

Se "S." teria o desejo secreto de ter um dia de revanche comigo? Esta é uma boa pergunta, mas só saberei a resposta quando mostrar esse texto para ela. Sinceramente, não me arrisco a dar um palpite. A única coisa que posso garantir é que eu adoro gozar na boca dela.

ass.: "P."

EDITEI O TEXTO PARA MELHOR A QUALIDADE DA ESCRITA, CORRIGIR ALGUNS ERROS E ADICIONAR ALGUMAS FOTOS SOBRE O TEMA.

Abaixo segue um exemplo de mordaça que poderia ser usada para este fim.



Esta é uma interessante mistura de "Ring Gag" com um tipo de funil. Isto que chamo bom exemplo de reciclagem de garrafa "pet".

Nenhum comentário:

Postar um comentário