terça-feira, 1 de abril de 2014

Bondage Combo Nº 1: Camisa de força, Filme plástico e Fita adesiva.

Sempre temos muitos planos e ideias, mas geralmente pouco tempo para realizar nossas fantasias, mesmo assim na medida do possível, vamos brincando:

Em um dia de muito calor, "S." me prendeu na camisa de força, e com a ajuda de muito filme plástico e fita adesiva ela literalmente me grudou imobilizado na cadeira, como toque final, fui preso no colar cervical e colocado em privação total de sentidos.

A privação sensorial era bem intensa, primeiro foram colocados tampões de ouvido, depois uma meia calça escura sobre minha cabeça, após, aplicando voltas de fita adesiva PVC, ela me amordaçou e vendou bem apertado, por fim, fones foram colocados em meus ouvidos. Estes fones tocavam em volume máximo o barulho da turbina de um avião, tornando impossível ouvir qualquer coisa ao meu redor.
O som era este aqui: https://www.youtube.com/watch?v=INrR7Jv57d8






O resultado final foi uma imobilização intensa, é importante lembrar que o filme plástico que nós usamos não é daqueles de cozinha, mas sim, aqueles "pallet wrap" usados nas indústrias para embalagens pesadas, então, o filme plástico é bem forte e resistente, algumas camadas de filme são suficientes para construir uma imobilização que só pode ser cortada se você usar uma faca ou tesoura, o filme não rasga ou cede na pressão.

Pedi para "S." colocar bastante pressão nas voltas de filme plástico, e na excitação não antevi o que iria acontecer, como resultado, em menos de 10 minutos descobri que o filme e a fita adesiva tinham sido aplicados tão apertadas, que minha respiração havia ficado um pouco restrita, não havia sequer espaço para estufar o tórax para respirar livremente. Excitante, mas também limitante, o bondage ficou tão severo que logo pude concluir que não seria possível aguentar por muito tempo.

No final, devo ter ficado ali por uns 45 minutos antes de suplicar por liberdade. Naquele ponto já era bastante desconfortável continuar. Fetiches de bondage, principalmente a combinação de imobilizações extremas e inescapáveis, que tenham o mínimo de conforto e efetividade para manter uma cena de longa duração (horas) sem pausas ou interrupções, podem ser difíceis de ser atingidas. Achar a sintonia correta, é quase como afinar a corda de um instrumento, não pode ser frouxa ou apertada demais, para ter o efeito desejado você precisa achar a tensão correta. Uma imobilização frouxa, no meu caso não é excitante, e se for apertada demais, pode ser excitante no começo, mas não será possível curtir ela por muito tempo, então achar o ponto certo é sempre necessário.

Neste dia nos passamos um pouquinho do ponto de tensão, o que impediu a continuidade da cena por mais tempo, no entanto, foram 45 minutos adoráveis, e mais uma vez pude constatar que a combinação de todas aquelas restrições somadas me colocaram perto de meus limites, pois mesmo com todo o tesão que sinto neste tipo de bondage extremo, mentalmente a vulnerabilidade experimentada pode ser assustadora, naquele momento você se torna alguém totalmente incapacitado, neutralizado, subjugado. Não é possível mover um músculo sequer, você está lá impedido de falar, ouvir ou enxergar, e não há absolutamente nada que você possa fazer para mudar isso.

Neste momento único, tudo está nas mãos de sua parceira, todo o controle é dela, você literalmente está nas mãos dela, totalmente e completamente, e esta é uma sensação especial que eu adoro.
E lá fiquei, confinado naquela imobilização que eu mesmo havia idealizado, somente implorando com palavras abafadas pela mordaça para "S." ficar perto de mim. Ela ficou o tempo todo me monitorando, zelando por mim, mesmo que não fosse possível saber se ela estava perto ou longe.

Preso naquele lugar, fantasias de meus contos de bondage rapidamente começaram a rondar o imaginário, ilusões selvagens e excitantes sempre com "S." me dominando: controle de respiração, ser abandonado mumificado, ser sequestrado, ser subjugado e mantido contra a minha vontade...

Passados 45 minutos "S.", com uma tesoura, cortou o filme plástico e a fita adesiva, fui solto da cadeira, mas ainda vestindo a camisa de força e o capuz, fui levado vendado e amordaçado até nosso quarto. Deitado na nossa cama fui usado como brinquedo, com seus maravilhosos pés ela pisou em minha cara, sua sola esmagou minha mordaça, seu dedão do pé trancou a minha respiração, ela pisou em meu tórax, em meu pênis, virei seu capacho.





Nas fotos é possível ver o suor na camisa de força, ser imobilizado desta forma em um dia de calor é uma experiência literalmente "QUENTE".

Por fim "S." removeu apenas minhas calças, montando em meu pau que estava muito muito duro, lembro ainda agora da sensação que senti quando meu cacete invadiu ela, a sua vagina estava muito quente e completamente molhada, rapidamente ela cavalgou até atingir seu gozo enquanto eu servia apenas de seu objeto, naquele momento o objeto mais feliz do mundo.

Saudações de P. e S.



NOTA IMPORTANTE:  Bondage pode ser muito perigoso e possivelmente fatal, especialmente quando se pratica sozinho ou desacompanhado conforme descrito neste artigo. A descrição detalhada da cena e das experiências devem ser vistas apenas como entretenimento, e não deve ser visto de forma alguma como instruções informativas.

5 comentários:

  1. sempre acompanho o blog de vcs eu adoro bondage eu e minha namorada, sou submisso e escravo sissy dela curtimos feminização e inversão .. nossa deve ser delicia ta todo amarrado assim, voce usa cinto de castidade? minha namo me sugeriu acha uma boa ideia? queria ter skyp contato c vcs pode ser? abraço gosei olhando p vc amarrado assim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito gratificante saber que vocês acompanham e gostam do nosso blog.
      Para mim, "P.", ser amarrado dessa forma é literalmente o paraíso.
      Eu uso cinto de castidade, as vezes, em períodos definidos, por nossos jogos e quando as atividades do dia a dia permitem. Sim, aconselho o uso de cinto de castidade, ceder o controle completo de suas ereções e orgasmos para a namorada é uma experiência única, ambos podem se divertir muito com isso.
      Não temos skype, você pode contatar a gente através do blog ou através de nosso perfil no "fetlife" https://fetlife.com/users/1433022
      Sinta-se sempre encorajado usar a parte dos comentários, assim todos podem ler e participar da troca de experiências.
      Abraço, obrigado pelo elogio ao blog.
      Se tiveres algum tema ou ideia que gostaria de ver aqui, sempre estamos aberto a sugestões.

      Excluir
    2. acho de como sou submisso e praticos inversão, ela adora me vestir de mulher e me obriga sempre usar calcinha, ate na rua , acho que ficaria perfeito voce de fio dental um vestido bem colado mesmo , acho legal me cinto preso, e depois ela te amarrar ia ficar perfeito fica a ideia ta.

      Excluir
    3. eu e ela adoramos humilhação e adoramos usar mini saia ela usa na rua e eu em casa, ela adora me provocar e as vezes faz eu gosar ela me comendo amarrado, ela vai me amarrar igual vc, coloca uma saia colada bem apertada e mande sua domme te amarrar vai ficar perfeito, o que mais vc curte? vc ja ficou muito tempo no cinto? como sua rainha gosa qd estar trancado no cinto?.. sou o mesmo que fiz os comentarios passado

      Excluir
    4. Tudo devidamente lido e anotado! Apesar de nós nunca termos praticado, a mistura de bondage e crossdress não é incomum no mundo fetichista. Vou deixar a sugestão para "S.". Sim, já fiquei alguns bons dias de cinto, mas nunca passei de mais de 2 semanas. Quando estou trancado ela é estimulada com muito sexo oral, vibradores, e tudo o mais que for possível, menos meu pau que fica trancado no cinto. Nós compramos uma cinta peniana para usar, mas ainda não testamos.

      Excluir