sábado, 5 de abril de 2014

Suporte para os pés de "S.".

Estávamos ambos em casa, e com pouco tempo para qualquer coisa mais elaborada, "S." precisava muito trabalhar naquele momento, e eu, queria muuuuuuito ser imobilizado, 15 minutos depois, com o uso de nossa camisa de força e um rolo de fita silver-tape, ela fez o trabalho abaixo:


Ela se dirigiu para a sala e sentada na mesa de jantar ficou trabalhando em seu notebook, enquanto eu curtia minha situação na cama do quarto. Ali permaneci, sozinho, me debatendo contra a imobilização só para ter certeza que não poderia escapar. 
Permaneci ali excitado, sentia a pressão da fita adesiva que imobilizava minhas pernas, a camisa de força que estava justa e apertada em meu corpo, o colar cervical que restringia e pressionava levemente meu pescoço, a meia calça que envolvia meu rosto, e, por fim, a fita adesiva que me amordaçava. Era possível enxergar, apesar de um pouco escuro, via tudo a meu redor.


Não pude perceber quanto tempo passou, mas por incrível que pareça, por não estar mais preso ou amarrado a algo, talvez imobilizado na cama? preso a uma cadeira? depois da excitação inicial, não estava mais achando aquela posição difícil o bastante, digamos que estava muito "leve", o tesão foi diminuindo e a inquietação aumentando.

Acho que no fundo desejava que "S." pudesse voltar e me dominar de alguma forma, já confessei para ela que tive fantasias de controle de respiração, algo que nunca havia tido antes na vida, mas por algum motivo após praticar mumificações pesadas que limitam até mesmo a respiração, me senti atraído, excitado pela ideia de que ela poderia apertar minha boca e nariz por alguns segundos, digamos 10-20-30 segundos, trancar minha respiração enquanto eu estivesse mumificado, incapacitado de reagir ou impedir, um jogo de dominação e controle, no entanto nada pesado ou perigoso, e é importante frisar que brincar com a respiração é algo que não aconselho a ninguém, estou falando apenas de fantasias minhas.

Prossegui com minhas fantasias, até que em determinado momento resolvi rastejar até a sala, sentei na cama e consegui com dificuldade alcançar o chão, após rastejei pelo corredor até chegar lá.


No caminho só fiquei pensando em ficar quieto aos pés dela como um cachorrinho, não queria interromper seu trabalho, mas também sentia uma vontade muito grande de ficar lá. Quando alcancei a sala e ela me viu, parece até que havia lido meus pensamentos, pois as palavras dela foram "eu quero pisar em ti".
Então, deitei esticado com meu corpo por entre os pés da cadeira dela, de maneira que meu tórax e rosto estavam exatamente na posição de descanso dos pés dela. Ao invés de usar um daqueles suportes ergonômicos de apoio para os pés, eu me tornei seu suporte de descanso para os pés, então ela reiniciou seu trabalho comigo lá, embaixo das solas dela.

A partir dali, posso dizer que sim, ela trabalhou, só não sei dizer se trabalhou no computador ou trabalhou com seus pés em mim. Ela estava com seus pés nus, sem meia, ainda usando a roupa que tinha ido na academia mais cedo. E então ela pisou com seus pés em cada ponto de meu corpo da cintura para cima, com atenção especial para meu tórax e meu rosto, era como sentir-se na pele de um capacho.

Em inglês, o termo para essa prática de pisar com os pés na pessoa se chama "Trampling" que se traduzido literalmente para o português, significa "Atropelo", bom, posso dizer que me senti atropelado, pois ela pisou de verdade, me esmagou no chão, ela nunca havia me pisado com aquela intensidade, e confesso que amei cada segundo, estava ali imobilizado, amordaçado e sendo pisado por suas solas e nossa, se eu pudesse estaria lá agora de novo.

Depois de um tempo ela largou todas as tarefas do computador e dedicou atenção especial somente em mim, pisava em meu pênis, minha cintura, em cada lugar, posso garantir que se tivesse como marcar pegadas, eu teria pegadas em cada pequeno espaço da parte superior de meu corpo. Ainda agora é difícil descrever o que mais gostei, mas acho que sentir ambas as solas de "S." cobrindo meu rosto e pressionando minha face são uma sensação única, indescritível.

"S.", sempre inteligente e querendo mexer comigo em seus jogos de dominação, esfregava as solas de seu pé sobre meu nariz me mandando cheirar, enquanto relembrava que ela havia ido na academia naquela manhã e ainda não havia tomado banho, dizia que eu devia sentir o cheiro dos pés dela. O que foi algo que mexeu com meu imaginário e reforçou ainda mais papel de submisso. Mas ao fim foi uma tarefa adorável e nada tortuosa, até porque "S." sequer tem chulé nos pés, por ser uma mulher super cuidadosa consigo mesma em cada detalhe, ela consegue a proeza de ficar perfumada até mesmo depois de ir na academia.

Prossegui sendo seu capacho por mais algum tempo, até ela cansar de pisar em mim, e antes que eu pudesse perceber "S." já estava com um vibrador hitachi em potência alta vibrando meu pênis que latejava de tesão, não demorou muito para que a combinação de fatores daquele momento me levassem a um tremendo gozo.

Fiquei lá estirado no chão, imobilizado, e na medida que o tesão baixou pude notar que aquele chão era duro e que agora minhas costas já estavam doloridas daquele "atropelamento". Se isso foi um problema? de forma alguma.

Já fantasio novamente com a chance de me tornar o suporte para os pés dela.

5 comentários:

  1. oi sou o mesmo que.comentou na postagem passada, todo dia entro.no.blog p ver postagens toda vez que comentar vou botar meu apelido de sissy q es julia, bom es uma delicia ficar amarrado assim . li td. vc disse q ia comentar com suaa domme o fato de vc vestir roupas femi, se usar vai gosar procure uma roupa bem justa q da uma boa sensasao, minha rainga ussa roupas curtas e coladas p mim provocar , ela faz isso c vc? falta fotos suas plugado. se tirar fotos vestido e amarrado vai ser um maximo, meu pau ta latejando de tesao lendo o conto.

    ResponderExcluir
  2. O seu post saiu triplicado, então tomei a liberdade de remover.
    O blog é um pouco lento nas atualizações, não é fácil arranjar tempo para praticar, registrar momentos e escrever postagens com um mínimo de qualidade.
    Ficamos felizes que vocês curtem o blog. Assim que tivermos novidades postaremos.
    sds.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. como es ta c cinto de castidade e tipo vc ta exitado c vonntade de gosar. e seu pau preso.tem como gosar c pau preso?. vcs praticam inversao. ? depois de dias preso deve ter muito esperma me. alguem sabe amigo ou amiga de vcs de seus fetche? abraco julia

      Excluir
    2. Vamos lá:
      - Quando você está com o cinto de castidade, não é possível ter uma ereção completa, era será apenas inicial, parcial e temporária, pois na medida que o pênis tenta crescer, o anel do cinto puxa as bolas, aperta, e começa a doer, então rapidamente a dor supera a excitação, e tudo que você quer é parar aquela ereção. Já vi vídeos de escravos gozando com o pau preso, eu até hoje não consegui, mas acho que se ficar bastante tempo preso e com o estímulo correto é possível. Inversão? a gente já brincou sim. Não, ninguém sabe, e fazemos questão que ninguém saiba. Privacidade é algo muito importante. E o blog é apenas uma válvula de escape para podermos falar sobre fetiches de forma anônima e protegida.

      Excluir
  3. julia aki.. muito exitante ficar amarrado assim, so a tipo ela me amarra assi minha dona so q por maximo 2 hora por motivvos de n es muito recomrndavel ficar muito imovel.. agente ta edepto a correntes agora pq ela pode usar cadeados e ficar c a chave. passo o dia usando ou tipo as vezes castigo ela me acorrenta no quarto impossivel sair.. mais tipo da p ficar o tempo q for.. mais como ela ameca me deixar acorrentado mais tempo c castigos.. to mais adestrado mais obediente.. claro q sempre de mini saias vestido e calcinhas .. como sabe adoramos feminizar.. ontem gosei olhando p sua foto imobilizado c permisao da rainha claro e na presença dela. abraço delicia esse mundo bdsm

    ResponderExcluir