quarta-feira, 11 de junho de 2014

"Long Term Bondage" e "Hand Over Mouth"

Muitas vezes para entender ou pesquisar sobre nossos fetiches, precisamos aprender os termos ou denominações em inglês, já que não existem muitas informações em nossa língua pátria. Hoje em dia tenho bom domínio do inglês, em virtude da minha grande vontade de ler sobre minhas fantasias de ser amarrado e amordaçado, desde meu primeiro acesso a internet em meados de 1996, e foi na internet que li pela primeira vez a palavra "bondage".

"Long Term Bondage": Significa em tradução livre algo como "Bondage de Longo Prazo" ou "Bondage de Longa Duração", o que entendo ser algo como ficar imobilizado por longos períodos de tempo. Portanto, ficar amarrado por diversas horas já seria algo considerado "Long Term Bondage".

Obviamente, esta sempre foi uma fantasia minha, e se você leu a série de contos de ficção aqui do blog chamada "Outro Conto sobre Bondage" em uma ou todas as cinco partes. Sabe que o nosso "herói???" é mantido pela vilã "Huntress"...(particularmente acho que a heroína é Huntress)... por dezenas de horas, até dias em bondage, sempre imobilizado, muitas vezes amordaçado, em privação de sentido, de forma ininterrupta, perceberam alguma semelhança com "Long Term Bondage"?

No entanto, existe uma certa distância entre fantasia e realidade, precisamos de experiência, adaptação e aprendizado, para tornar fantasias reais. Cenas extremas de mumificação por exemplo, precisam da construção correta, o que requer experiência e afinidade de ambas as partes "quem amarra" e "quem é amarrado". Quem pratica castidade controlada com dispositivos de castidade sabe por exemplo que é praticamente impossível na primeira vez (quem nunca usou um dispositivo na vida) ficar trancado por uns 20 dias ininterruptos (24/7), é excitante na teoria, mas a adaptação do corpo a experiência de castidade, a adaptação de seus genitais e até saber se aquele dispositivo em particular se adapta a seu dia a dia, tudo isso precisa de prática, experiência, tentativa e erro.

Sim, eu fantasio muito com "Long Term Bondage", sim eu imagino que um dia no futuro, poderíamos até adaptar um pequeno espaço escondido de nosso apartamento só para isso, uma cela mais escura tipo solitária, ou melhor, uma sala pequena e sem janelas toda branca e acolchoada, isto sim iria combinar com minha camisa de força e com minha imaginação desvairada.


Porém, assim como acontece com os praticantes de castidade controlada, long term bondage não é somente excitação, na verdade são pequenos intervalos ou picos de excitação, entremeados com longos períodos de nada, mas no final, se você gosta disso, pode ter uma experiência bastante positiva, e foi o que aconteceu comigo.

Perguntei a "S." se podia dormir em bondage, ela gostou da ideia, mas como tem sono profundo por questões de segurança, optamos por um cenário seguro, ou seja, nada de mordaças e nada que pudesse obstruir a respiração. Ficamos no básico e em menos de 10 minutos lá estava eu, preso na camisa de força, e posso garantir que ela caprichou na amarração, minhas pernas estavam presas por cintas de couro que prendiam meus joelhos e tornozelos juntos, era o básico bem executado, ao fim testei como sempre a imobilização só para garantir, e para minha felicidade eu não poderia escapar sozinho, era aproximadamente 22:00 da noite.

Lá estava eu, preso e excitado, começando a minha jornada de "Long Term Bondage", percebi que em não mais do que 20 minutos "S." já havia adormecido a meu lado, desta forma, sabia que não havia chance de qualquer "brincadeira", era apenas eu, e só me restava agora enfrentar a situação.

Não lembro quanto tempo passou, fiquei apenas no escuro do quarto excitado até que finalmente adormeci, não havia outra escolha, até que repentinamente, no meio da noite acordei, não tenho ideia do horário, apenas que naquele momento eu estava sentido um desagradável desconforto no ombro, após ficar horas com a camisa de força, tudo parecia mais apertado e restritivo, e meu corpo começava a não aguentar a pressão nos ombros, tentei todas as posições possíveis e imagináveis, mas não melhorava, já não era excitante, era agora incômodo a ponto de me fazer terminar o jogo. Devo ter ficado lá sozinho por uns 30 minutos sem conseguir dormir, alternando posições sem sucesso, mas não desejava acordar "S.".

Então me sentei na beirada da cama com dificuldade, e fiquei tentando pensar em um forma de continuar, quando ouvi um barulho de "S.", felizmente ela havia acordado de um sonho, aproveitei a chance para implorar para ela aliviar um pouco a tira que puxava meus braços, "S." por sua vez perguntou se eu queria ser libertado. Disse que não, só bastaria ela aliviar a pressão da camisa de força no ponto que pressionava meus ombros. Ela prontamente aliviou a tira que causava tamanho desconforto em meu corpo, senti um alívio e deitei novamente, "S." só apagou a luz virou para o lado e adormeceu, tão rápido como havia acordado.

Me sentia bem e após chegar tão perto de desistir estava pronto para resistir até o fim, agora excitado e no escuro deixei minhas fantasias de bondage invadirem meus pensamentos, porém, imobilizado daquela forma, não havia muito o que fazer, não havia possibilidade de tocar meu pênis, apenas ficar lá no escuro com tesão até o amanhecer. Lembro que imaginei que "S." era Huntress, e naquela hora eu não estava mais na cama, mas sentado no chão gelado de uma cela em local desconhecido, Huntress estava lá comigo sentada em uma cadeira simples de madeira, eu estava preso na camisa de força e havia muita fita adesiva imobilizando minhas pernas, tornozelos, pés, tudo, estava sentado direto no chão, e minhas costas estavam apoiadas na cadeira de Huntress, por entre as pernas dela, sua mão agressivamente tapava minha boca, ela era forte, dominante, e apertava minha meus lábios com força...


A propósito chamam em inglês de "Hand over Mouth" ou "Mão sobre a boca" este fetiche em particular. Algo como sentir excitação por ter sua boca tapada pela mão de sua parceira. O que na visão de alguém que adora mordaças (Eu) pode ser bastante excitante, ser amordaçado pela mão da dominadora, o que é uma atitude muito simbólica também.

Em algum momento adormeci, e despertei já pela manhã, para minha surpresa já eram 09:20, descobri que havia ficado em bondage por mais de 11 horas ininterruptas, o que para mim já era um grande feito. "S." então me soltou e com alívio pude alongar meus braços e pernas, bem como, caminhar ao redor da cama, minhas pernas estavam um pouco rígidas e a articulação dos joelhos também, porém eu estava bastante feliz e tomado por uma grande alegria, era um sentimento de realização, como se eu tivesse completado uma maratona, meu corpo estava fisicamente cansado, de verdade.

Se eu gostaria de repetir? com certeza e quem sabe até por mais tempo ou com imobilizações mais pesadas, no entanto, é preciso entender que existem muitas variáveis envolvidas, físicas e psicológicas, executar e viver este tipo de experiência é mais difícil do que se imagina, transformar fantasias em realidade.

Mas vou continuar sonhando com nossas práticas, e fantasiando construir aquela pequena sala ou depósito escondido em nosso apartamento, uma dispensa que fica trancada com um grande cadeado, onde todos são proibidos de entrar, somente "S." terá a chave daquele lugar, lá dentro ela guardará seu mais obscuro segredo, lá escondido de tudo e todos ficará depositado seu marido/escravo bondagista.


Opa, desculpe, sem querer já estava novamente perdido no meu mundo de fantasias...

2 comentários:

  1. Olá, cheguei por acaso até voceis, pesquisando por "fetiche por carcere" e acabei describing um termo que desconhecia que é o "Long Term Bondage", ao qual eu aprecio e prático de forma um tanto limitada por ainda não morar em casa própria apesar de já possuir. Minha experiência se limita a dormir preso amarrado ou algemado a cama na compania de minha namorada/dona. Durmo preso nu em "X", preso de forma a limitar ao máximo meus movimentos de maos e pernas,e minha garota dorme por cima ou enrroscada em mim, ficando privado de água, comida e banheiro por no máximo 10 horas até hoje... Seria interessante se voceis fizessem algum post com dicas de "como manter seu escravo preso" de forma adequada, descrevendo formas, o tempo de privação das necessidades fisiológicas, etc, pois acredito que exista muito mais gente com este fetiche e não tem informação alguma sobre o assunto. Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que achou nosso blog e gostou do que viu. Interessante seu relato. Tentarei abordar o assunto, até porque também é um fetiche que praticamos. Na verdade que tem fixação por isso sou eu "p". De modo simplificado, o uso de equipamento de restrição médica (camisa de força por exemplo), considero perfeito para bondage de longa duração, já que você consegue restrição real, aliada com o conforto para manter alguém indefinidamente preso. Tenho muitas ideias e fantasias. Muitas coisas que ainda sequer tive tempo de praticar.

      Excluir