quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Brincadeiras de verão...

Nestas férias, tivemos alguns momentos propícios para "brincar"... infelizmente nem tudo foi registrado em fotos ou vídeos, mas tenho tudo bem guardado na memória...

Uma pena que castidade de longa duração não tem  feito parte de nossas práticas nos últimos tempos, tenho pensado em algumas coisas, desejado, mas até agora nada concreto...

Mas voltando, no final de dezembro, tive tempo para uma pequena sessão de bondage muito legal, foi tudo meio que de improviso, no entanto, uma cena maravilhosa:

I - Capuz de Lycra + Capuz de Privação de Sentidos: Fui imobilizado vestindo um capuz de lycra preto que cobria toda minha cabeça e, por cima, um capuz de privação de sentidos (aquele branco do post anterior), a combinação funcionou na medida certa. Vale lembrar que o capuz de tecido lycra é respirável, no entanto, você precisa respirar através da lycra, pois este não tinha furos. Sobre este capuz, fui trancado no capuz de privação de sentidos, que tem apenas um pequeno buraco para respirar na altura da boca. Desta forma, respirando através do tecido de lycra eu buscava o ar que entrava no pequeno orifício. O resultado foi confinamento total, o capuz externo, que estava com todas as fivelas bem apertadas, comprimia cada pequena parte de meu crânio, era possível sentir o acolchoado interno pressionando a órbita de meus olhos, ao mesmo tempo que tapava minhas orelhas, diminuindo bastante os sons externos. Ao respirar através da lycra, apenas recebia ar quente, molhado pela condensação, era bastante abafado, pesado, opressivo. Quando se combina isso com uma boa camisa de força bem amarrada em seu corpo, e você tem certeza que não tem a mínima chance de escapar sozinho, se você for um bondage freak (Eu sou dos mais doidos). Você é levado diretamente e sem escalas para o nirvana bondagista,, e fica preso lá até que quem o amarrou resolva vir te libertar.

II - Forçado a engolir: Fiquei lá, preso em meu mundo, sem saber exatamente por quanto tempo, quando percebi que "S." havia voltado ao cômodo em que eu estava, e por pura diversão, resolveu me provocar. Sem prévio aviso, senti uma vibração por sobre minhas calças, ela vibrava meu pênis por cima da roupa, era uma vibração de intensidade média, bastante prazerosa para mim que apenas mexia o corpo, e desfrutava daquela situação. Então, ao ouvir suas palavras, entendi o que ela queria...
- Se tu não se aguentar e gozar nos próximos 10 minutos, da próxima vez que a gente transar e tu gozar dentro de mim, vou sentar na tua cara com minha xana toda gozada e fazer tu lamber toda a porra dela.
Na hora estremeci sem reação, estava muito excitado, e as palavras dela imediatamente fizeram minha mente voar longe vislumbrando como seria aquilo. A imagem da sua xana chegando diretamente em minha boca, quente e molhada, encharcada de excitação, e também lambuzada com meu gozo, com seu sexo ainda abarrotado com meu esperma, rebolando dominadora seu quadril, agarrando meus cabelos e me forçando a lamber, chupar, sugar, vorazmente sua vagina até o orgasmo, sem sequer se importar com o fluído branco espeço e viscoso pingando de seu sexo.
Tudo passou como um filme em segundos, super excitante, provavelmente se tivesse ficado com aquele pensamento em minha mente por mais 30 segundos, gozaria instantaneamente.
No entanto, fiquei com medo, pois sabia que aquela excitação toda cessaria no segundo seguinte ao orgasmo, cinco segundos depois de despejar meu gozo, a ideia de engolir meu próprio sêmen não seria nada palatável. Além do mais, tenho por característica pessoal ejacular uma farta quantidade de esperma, se ficar alguns poucos dias sem me masturbar, produzo generosos volumes de porra. O que naquela situação só tornaria tudo ainda mais difícil.
Minha reação instintiva então foi tentar resistir, aguentar aqueles dez minutos, lutar contra a excitação crescente, controlando-me da maneira que podia. Limpei minha mente, e fui em frente. Para minha surpresa, fui capaz de suportar "S." trabalhando com o vibrador por aqueles 10 torturantes minutos. Atribui este pequeno feito a três pequenos detalhes: primeiro, os vibradores lá de casa não tem vibração muito potente, segundo, as vibrações foram aplicadas por cima da calça, o que diminuía a sensibilidade, e por último, eu demoro mais a atingir o clímax se for estimulado apenas por vibração.

III - Usado: "S." então desligou o vibrador, e sem falar uma palavra sequer abaixou minha calça, pude sentir o ar se deslocando sobre meu pênis agora exposto, por um instante tentei antecipar mentalmente o que aconteceria sem sucesso, mas a resposta veio rápido, com uma leve pressão da sua vagina forçando meu pênis para dentro, o cacete instantaneamente deslizou fundo no canal vaginal que estava úmido, quente, excitado. Ela então largou o peso de seu corpo, podia sentir seu quadril, nádegas e coxas em posição, ela estava montada em mim, minhas costas, meu tronco, afundaram alguns milímetros no colchão pela união de nossos corpos, o que contribuiu para sensação de dominação. Ali estava eu ainda embrulhado na camisa de força, preso no capuz de privação de sentidos, e agora com "S." por sobre mim, me segurando naquela posição, e me usando para ter seu prazer. Aquele instante me remeteu as fantasias mais básicas de bondage, aquelas que tive ainda em minha adolescência, nas primeiras vezes que sonhei com bondage e mumificação.
Lembro ainda daquelas fantasias, nelas eu permanecia completamente mumificado, cada parte do corpo, da cabeça ao dedão do pé, meu nariz ficava exposto apenas para respirar, no entanto, eu não podia ver ou ouvir e uma forte mordaça me impedia de falar qualquer coisa, somente meu pênis ficava exposto, o restante era todo coberto, amarrado por dezenas de voltas de bandagens brancas que me impediam de mover qualquer músculo. Eu ficava lá imobilizado, sozinho em um quarto escuro apenas para ser usado, eventualmente mulheres entravam no quarto, unicamente para usar meu pênis ereto, elas vinham, sentavam e cavalgavam até o orgasmo, sem se preocupar comigo, não havia chance de escapar, resistir ou pedir ajuda, eu ficava ali apenas para dar prazer, como um objeto, um boneco imóvel de carne e osso.
Logo, o tesão daquele momento rapidamente sobrecarregou todos os meus sentidos, "S." controlava todas as ações e  "BANG", precocemente, explodi em um vigoroso orgasmo.

Ali acabava nossa pequena brincadeira de final de dezembro. Infelizmente nada foi registrado, ficaram apenas as lembranças.

O blog chegou a mais de 80.000 visualizações, só podemos agradecer a todos vocês.

Sobre participação:
- Obrigado pela participação dos leitores na sessão comentários, é sempre bom ouvir cada um de vocês.
- Pensei em criar uma enquete para saber um pouco mais sobre a preferência dos leitores, fica a promessa de pensar em algo neste sentido no futuro.
- Imaginei abrir um canal direto para o leitor anonimamente ou não, sugerir ideias, scripts e cenários, que gostaria de ver acontecer entre "S." e "P." (Eu), considerando claro, nossas preferências: bondage, mumificação, castidade, femdom, fetiche por pés, ou seja, os assuntos do blog.... se acharmos legal, quem sabe sua fantasia não acaba aqui no blog em formato de história, com fotos e vídeos? Alternativamente, este canal de comunicação poderia ser direto e exclusivamente direcionado para "S." (Algo como Fale direto com a Domme), ou seja, apenas ela teria acesso para ler as sugestões. Caso gostasse de alguma, ela poderia usar e abusar da ideia, sem prévio conhecimento meu.

sds,

"P."

PS.: Você foi um daqueles leitores que torceu para "S." e acabou triste ao saber que suportei bravamente os 10 minutos escapando do castigo de lamber meu gozo? Bom, se isto te faz menos triste, saiba que em janeiro deste ano, ela teve sua revanche, em um jogo "parecido", e apenas utilizando sua habilidosa mão besuntada com lubrificante, "S." conseguiu literalmente ordenhar todo o leite do meu cacete, somente na punheta, em não mais do que dois minutos, com direito a coleta do sêmen em um copo de vidro. Mas isto é assunto para outro post, com direito a alguns "registros". Até mais.

Um comentário:

  1. Bem sexo que ela ppoderia ter conseguido ganhar no final

    ResponderExcluir