segunda-feira, 2 de março de 2015

Ponto de Não Retorno...

Pesquisando sobre alguns temas relacionados ao fetiche do post anterior, me deparei com algumas informações curiosas, primeiro que realmente existe uma parcela de Dominadoras, que praticam ou adotam a ideia de que seus escravos devem regular ou esporadicamente consumir o próprio gozo, pelos mais variados motivos, seja pela humilhação, por ser um ato de submissão, por ser um preço justo a se pagar pelo privilégio do orgasmo, por motivos de castigo ou punição, as dinâmicas em que esta prática se encaixa são amplas.

Curioso sobre o assunto, segui em frente e me deparei com estas animações em gif:




Bom, as animações são auto-explicativas, nós temos um escravo que foi colocado em uma posição corporal onde seu pau está diretamente apontado para sua boca ou sua face. 

Neste caso, tudo se torna automático e com consequências imediatas, se ele gozar o resultado se revelará em questão de segundos, um "self facial"? uma boca cheia de sêmen? um escravo todo gozado?

Consigo imaginar esta ideia inserida em um jogo de castidade controlada por exemplo, quando você está lá por dias, as vezes já completando "semanas"? desejando muito um orgasmo, e então, a dominadora decidi que você ganhará o tão sonhado gozo. 

Só tem um pequeno "detalhe", na hora "H" ela te coloca nesta posição, corpo dobrado, talvez ainda, com uma mordaça destas que forçam a boca aberta? 

Seu pênis ereto, rijo e pulsante, e cada vez mais excitado na medida que ela calmamente passa generosas porções de lubrificante e começa a ordenha-lo como se estivesse prestes a extrair leite.

É possível imaginar pensamentos fortemente antagônicos batalhando entre si, lutando, o desejo visceral de alcançar o gozo, sentir finalmente o alívio do orgasmo, em contraste com a visão ameaçadora do membro latejante fazendo pontaria para um alvo diabolicamente planejado.

Tudo me parece humilhantemente inevitável, com a excitação crescendo sem controle, até o "ponto de não retorno", aquele momento sem volta, onde como uma reação nuclear, o orgasmo eclode e expande , a partir daquele ponto, nada mais pode ser impedido ou bloqueado, ondas de prazer iniciam seu caminho, transpassando seu corpo, e a cada nova onda um vigoroso pulso é sentido em seu membro, este pulso transformado em uma erupção, um jorro de sêmen, não, não há como ser evitado, pulso após pulso, golfadas de esperma quente, do líquido branco denso e viscoso, voando em abundantes jatos para encontrar seu destino.

O momento efêmero de prazer cessaria em não mais do que alguns poucos segundos, a ilusão causada excitação do orgasmo se dissiparia, então só restaria talvez uma face lambuzado de esperma, uma sensação de algo pegajoso dentro da boca, com cheiros e gostos, você então entenderia humilhado, a submissão de gozar daquela forma.

A propósito, vocês notaram algo em comum nas três animações? seria o sorriso espontâneo que todas elas não escondem no momento em que os caras acabam gozando contra si mesmos? alguém mais notou isso?
Parece um prazer, talvez um sentimento de revanche, por todas as vezes que os caras gozaram nelas...

Nenhum comentário:

Postar um comentário