sexta-feira, 19 de junho de 2015

A arte de Nimrod, e o conto de "S"onia e "P"edro.

Como já mencionei antes, tenho adoração por artes que envolvam fetiches, entre os artistas que produzem esse tipo de "Kink Art", descobri "Nimrod", que você pode visitar no seguinte link: http://www.studio-oridomain.com/ , obviamente, são desenhos de dominação feminina, algumas, confesso achei fantásticas. Então, meio que por acidente, após ver uma daquelas fotos, acabei montando um conto, na realidade apenas a parte 1. Tenho ainda muitas ideias para continuar ele.

"S"onia e "P"edro - Parte 1 - Revelando o Segredo

Sonia conduz Lucy através dos cômodos da casa, passando por toda extensão da área de serviço, no final de um estreito corredor ambas param, barradas por uma porta sólida de madeira que está fechada por uma pesada fechadura de metal, além disso, também existe uma tramela com cadeado, para completar a estranha cena, uma portinhola, ou janela espia, e ao final os dizeres "Quarto de Hóspede".
Lucy, amiga de Sonia, com um olhar enigmático confessa:
- Essa porta!! Você não sabe, mas já estive aqui antes, a alguns meses atrás, na janta de verão que fizeste aqui com as gurias do escritório, acabei me perdendo no seu apartamento, entrei na cozinha, passei pela porta da área de serviço que você sempre deixa trancada, e acabei exatamente aqui na frente, estava super escuro, e eu não achava o interruptor de luz, já era tarde, eu estava tonta de vinho, sei que não devia, mas coloquei a mão na maçaneta e girei para abrir, mas estava trancada! Na hora pensei, que tipo de quarto é esse??? No instante seguinte, "JURO" ouvi gemidos baixinhos!!! "Mpphhhh" "Mpphhhh" "Mpphhhh". Sai correndo!!! Esse lugar é assombrado? Desculpe, eu estava bêbada, só acho estranho que todas as vezes que venha aqui te visitar, você sempre deixa essa parte do apartamento isolado do resto.
Sonia, sorri e responde:
- Bom hoje você está aqui não está?
Lucy rebate:
- Sim, aparentemente sim, mas ainda não entendi o porque de tudo isso!
Sonia fala enquanto retira um molho de chaves de bolso:
- Bom, você Lucy é a minha melhor amiga, e confesso me surpreendeu muito ao chegar aqui hoje para confessar preocupada o excêntrico segredo de que seu marido, o Marcelo, aparentemente, adora se vestir com roupas de mulher!!! Amiga, relaxa, ele tem um fetiche, nada demais, acredite!
Lucy surpresa fala:
- Então Pedro também gosta de se vestir de mulher?????
Sonia ri alto:
- Hahahaha, não, não gosta!!!
Lucy suspira:
- Desculpa, que burra, como fui pensar isso de seu marido, o Pedro é tão educado, nas raríssimas vezes que conversamos achei tão comportado, mas meio tímido, mal falava. É um pena ele trabalhar tanto, sempre viajando, nunca pode participar das coisas com a gente. Para onde ele viajou essa semana mesmo?
Sonia irônica responde:
- Aahhh você quer saber onde Pedro está,  isso eu posso te mostrar!
Ela então com perícia destrava o cadeado e a fechadura, coloca a mão na maçaneta e por um instante, olha diretamente nos olhos de Lucy, enquanto adverte:
- Nunca imaginei que um dia mostraria isso para alguém, muito menos para você, mas somos melhores amigas, você demonstrou confiar em mim ao falar sobre os segredos mais íntimos de vocês, e por isso me sinto honrada e agradecida, agora saiba que a confiança é mútua.
Sonia faz uma pausa e então escancara a porta, e sem seguida acende a luz daquele quarto.
O cômodo media 2 por 3 metros, circundado por paredes de cimento cinza, ao solo apenas o chão frio, a única abertura era uma pequena janela de ventilação bloqueada por grades de ferro, ao redor, pendurados por diversos ganchos, diversos equipamentos de couro usados em sadomasoquismo, mais especificamente, infinitos apetrechos de bondage, capuzes, camisas de força, luvas, algemas, cintos, era quase impossível contar o número total e a variedade de itens.
Mas o que deixou Lucy sem palavras foi a visão do marido de Sonia, o Pedro, que estava ali na sua frente, imobilizado dentro de um grande saco de couro, apenas com a cabeça para fora, aquele bolsa estava suspensa, pendurada ao teto por um gancho, sustentada apenas por uma grossa tira de couro cru.
Havia também um colar de couro no pescoço dele, e pelo menos um par de meia calças, ou meias finas, não era possível saber ao certo, que estavam enfiadas em sua cabeça, completando aquela cena, um sapato que servia de mordaça.
Em resposta ao barulho e as luzes ele começou a se agitar no saco, ao mesmo tempo que produzia sons ininteligíveis:
"MMpphphphhmm"  "MMpphHhMMM"  "MMpppphph"  "MMppMMhpphh"
Sonia então, ironicamente falou:
- Olha aí o seu fantasma! Era esse o som?
Lucy surpresa responde:
- Eu não acredito!!! Era esse som! Esse é o Pedro??? Você está me dizendo que naquela noite ele também estava aqui????
Sonia continua:
- Sim, ele mesmo! Ele passou muito tempo aqui nos últimos 2 anos. Sempre que você ouviu que Pedro estava viajando, pode apostar, que ele estava trancado aqui dentro. Na verdade ele trabalha em casa, presta serviços via sistema eletrônico. Basicamente sua rotina é trabalhar através da internet e fazer todo o serviço da casa, roupas, limpeza, faxina, comida, compras, tudo. Esse é o fetiche dele, ser meu escravo.
Lucy então interrompe:
- Nossa, isso é tão estranho, mas pensando melhor tudo faz sentido, porque todas as vezes que te visitei, nunca vi seu marido, e você trabalhando fora o dia inteiro, enquanto sua casa sempre impecável, perfeita, limpa, organizada, e também, essa sua neurose de não deixar nenhuma visita chegar perto desse quarto. Ele é mesmo seu escravo?
Sonia acena positivamente com a cabeça.
- Uhum! De papel passado. Escravo de verdade, a 2 anos que temos um contrato de escravidão. Na verdade o contrato refere-se apenas aos meus direitos sobre ele. Algo como um certificado de propriedade. É uma longa história.
- Digamos que por muitos anos, mais de vinte para falar a verdade, nós "brincamos" com isso, muitas vezes, gastei meu tempo com ele, fazendo de conta, praticando e satisfazendo suas taras. Até que eu disse chega! Era ora de mudar a dinâmica da relação, e então aqui estamos.


Sonia sorri olhando para Pedro:
- Aahh mas não precisa ter pena não, foi ele me pediu por isso, insistiu por anos para falar a verdade! Muito antes de assinar este contrato. Pode ter certeza que esse pervertido estaria de pau duro agora se não fosse pelo dispositivo de castidade trancado nele.
Lucy reage surpresa:
- Dispositivo de castidade?????????
Sonia então prossegue:
- Ele é um escravo de verdade Lucy! Suas ereções e orgasmos são todos controladas por mim, é uma das mais poderosas armas que tenho a disposição para dominar ele.
- Não te falei? Sua historinha com Marcelo não é nada demais, todos tem segredos trancados em algum lugar. Digamos que os meus estão trancados dentro de um saco de couro. Vamos fazer um café?
Sem mais palavras elas saíram do "Quarto de Hóspedes". O único som que quebrou o silêncio foi o barulho da fechadura trancando e do ferrolho da tramela sendo empurrado.
Minutos mais tarde, elas estavam de volta a sala da casa de Sonia, Lucy sentada a frente da amiga, após sorver um gole de café fumegante quebra o silêncio:
- Ainda estou sem palavras, mas não se preocupe, você pode confiar na minha descrição, realmente você me convenceu do melhor jeito possível. Vou me preocupar menos com os fetiches do Marcelo. Mas meu deus Lucy! o que você está fazendo com seu marido?
Sonia faz uma pausa, toma mais um gole de café, cruza as pernas e responde:
- Eu? Tudo que você viu, de um jeito ou de outro ele fez a si mesmo! Eu sempre fui um mulher tranquila, equilibrada, e para fizer a verdade, apesar de achar interessante, algumas vezes realmente excitante, eu nunca tive esse tipo de fetiche.
Ela então suspirou e continuou:
- Já o Pedro, bom o Pedro é outra história, desde que nos conhecemos, a mais de 25 anos atrás, ele nunca escondeu seus pitorescos gostos, e na medida do possível e do imaginável, entre trabalho, filhos, e tudo mais, praticamos de vez em quando, muitas coisas ligadas a dominação e submissão, no caso, ele sempre foi meu submisso.
Pausa um instante para outro gole e prossegue:
- O tempo foi passando, nossos filhos crescendo, até o ponto de sair de casa, e Pedro sempre com suas fantasias já imaginando a construção daquele quarto, que seria sua cela, ou prisão, sempre tinha algo envolvendo ficar amarrado, amordaçado, mumificado, preso, ele é tarado por isso. Só que um dia eu cansei. Não cansei de Pedro ou do fetiche dele. Mas sim da dinâmica daquilo. Pois ele só conseguia se imaginar escravo na hora do prazer. Ele não tinha qualquer ônus, mas somente o bônus de ser um escravo de faz de conta.
- Eu por outro lado, naquele momento da vida, já trabalhava fora, cuidava da casa, de tudo, arranjava energia para os filhos, e ainda precisava ter vigor para ser a "Rainha" dele somente por alguns momentos em um sábado a noite??? Afinal eu era a Rainha ou a Escrava dele?
- Então, uma noite, o Pedro apareceu já com desenhos e planos para construção daquele quarto, sempre excitado quando falava sobre seus fetiches, ele falou do desejo de ficar trancado ali, das mumificações, suspensões, camisas de força, passar noites, horas ou dias, tinha todo o tipo de fantasias que envolviam bondage, confinamento, até ficar preso em sacos, armários ou baús,  e eu fiquei quieta lá só ouvindo.
- Quando ele acabou de falar, eu pensei, nossa mas isso só vai me dar trabalho. Enquanto ele realiza as fantasias de sua vida o que eu ganho? Então naquele momento, 4 anos atrás, finalmente tudo começou a fazer sentido.
- Então eu disse para ele: Esse é seu sonho Pedro? Olha eu até posso realizar ele, mas tudo tem um preço, e já passou da hora de você pagar o preço de suas fantasias. Você quer que eu seja a Rainha Má? Quer construir esse quarto? Viver seus fetiches de bondage, ser o escravinho? Bom! Então eu serei sua Rainha 24 horas do dia, 7 dias por semana, e tudo vai mudar aqui em casa.
- A partir de hoje, minha única obrigação como Rainha, será com relação a minha carreira profissional, sair de casa todo dia para trabalhar. Você por outro lado, vai viver como o escravo, isso significa, fazer sozinho, todas as obrigações de casa, limpeza, arrumação, faxina, comida, roupa, compras, tudo, todos os dias, 7 dias por semana, manhã, tarde e noite, não vai ter faxineira ou empregada, é tudo com você, e além disso você vai trabalhar duro na profissão, continuar ganhando seu dinheirinho, só que agora, quem administra o dinheiro todo serei eu, escravos não tem posses.
- Você faz a sua parte de escravo, 24 horas, e eu faço minha parte de Rainha, nós construímos o seu quarto, cela, ou seja lá o que for aqui em meu "castelo", e nós vamos viver cada um o seu papel, mas não somente quando você estiver excitado, é sempre.
- E a partir daquele dia, as coisas começaram a mudar, até chegarmos aos dias de hoje.
Lucy respira fundo ouvindo o relato:
- Nossa Sonia, é difícil de entender, é bastante radical, entendo que cada um deve viver a vida e ser feliz da maneira que achar melhor, e também não quero me meter. Mas são conceitos bem difíceis para mim, seu marido gosta de ser preso e amarrado? você usa dispositivo de castidade nele? e aquele sapato na boca???
Sonia ri e esclarece:
- Ele tem vários fetiches, como bondage por exemplo, que é a excitação por ser amarrado, imobilizado, e acredite ele adora bondage das mais extremas formas. Ele também tem um forte fetiche por meus pés, e também, por ser controlado, dispositivos de castidade são uma forma incrível de controle, mas isso você só vai conseguir entender com o tempo, outra hora te explico com mais calma.
Sonia continua:
- Sobre a cena que você viu. Ontem antes de ir trabalhar, eu prometi que a noite, deixaria ele beijar meus pés, como prêmio pelo comportamento da semana. E juro que estava pensando em ser mais boazinha ainda, soltar ele por algumas horas, mas cheguei tãããããããoooo cansada no final do dia. Teve congresso na empresa lembra Lucy? Estava super quente, abafado, caminhei o dia inteiro, não parei um minuto, minhas pernas estavam doendo, então, tudo que eu queria era relaxar, tomar um banho quente para tirar o suor do corpo e deitar na cama. Não queria perder mais que 2 minutos com o Pedro. Cheguei no quarto de hóspedes, dei comida, água, e pensei, estou cansada, sou a Rainha, ele é que deve se sacrificar, então, apenas prendi ele na camisa de força, e depois dentro do saco, tirei as meias do pé e enfiei direto na cabeça dele, e botei o sapato na boca de mordaça, e apertei as fivelas. Pronto, você queria meus pés? Agora você tem algo para lembrar deles a noite inteira. Boa noite. Virei as costas e apaguei a luz.
Lucy fala:
- Uou, você é mesmo uma Rainha Má!!!!
Sonia sorri e retruca:
- Sou apenas a Rainha das fantasias de Pedro. Por falar nisso, daqui a pouco preciso voltar lá para tirar ele de dentro do saco. Está na hora dos afazeres diários de escravo.
Sonia então sorveu o último gole de café e ambas ficaram em silêncio.

Fim da Parte 1.

O blog atingiu mais de 100.000 acessos. Um grande obrigado a todos que nos prestigiam.

6 comentários:

  1. Ótimo conto!! Aliás, ótimo blog!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, sinta-se convidado a acompanhar o blog. É sempre bom saber que outras pessoas apreciaram nosso material.

      Excluir
  2. Pra falar a verdade, só não passo mais por aqui porque as atualizações são muito distantes uma da outra. Mas, entendo que o blog é como se fosse um hobby, e acaba ficando em segundo plano diante da correria do dia-a-dia.
    Mas, não deixe de postar. O blog de vocês é o mais autêntico que conheço.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, as atualizações são bem espaçadas, e você entendeu bem o motivo, como isso aqui é apenas um hobby, quando é possível a gente tenta atualizar, mas sem prioridades. Autêntico, adorei a definição, obrigado pelo elogio.

      Excluir
  3. A questão é que eu fico ansioso para ver mais postagens. porque meus dias de internet estão acabando, minha Dona, ira me proibir de ter acesso a meios de comunicação.

    ResponderExcluir
  4. Quem sabe sua Dona não pode abrir uma exceção para que você possa acessar ao menos o blog. ;-)
    Assim, que possível, teremos novo conteúdo.

    ResponderExcluir