terça-feira, 31 de maio de 2016

Huntress - 2º Conto - Capítulo 2: REGRAS

Gustavo recobrou os sentidos ainda confuso. Estava no escuro, abriu seus os olhos tentando compreender a situação ao redor, mas nada pode ver além da escuridão, logo percebeu que estava amarrado em sua camisa de força, a sensação daquele abraço forçado era inconfundível, tentou se mexer e notou que seus tornozelos e joelhos também estavam imobilizados.
Passados mais alguns segundos e na medida que recobrava a plena consciência dos acontecimentos, percebeu que havia mais, ele também estava amordaçado, era possível identificar que alguém havia afivelado uma ballgag em sua boca, por entre os dentes havia uma grande bola de borracha, e parecia que fita adesiva havia sido também aplicada, pois não havia passagem de ar pela boca, sua respiração era toda realizada pelo nariz.
Por não mais do que 30 segundos Gustavo ficou no chão, apreensivo, relembrando dos fatos da noite anterior, de Sara sua mulher, também da enfermeira, do whisky, das palavras, e por fim de dormir. E então lentamente, ele começou a se contorcer lutando contra a imobilização em que estava, forçou os braços, tensionou as pernas, esperneou contra as amarradas, girou o corpo para ambos os lados, e a medida que os minutos foram se sucedendo, Gustavo foi colocando mais esforço na batalha, o calor de seu corpo aumentando, sua respiração era mais rápida e pesada, gotículas de suor escorriam de seu rosto, ele se contorcia com vigor na escuridão.
Em determinado momento ele parou, não tinha mais energias para continuar, estava ofegante, suado, esbaforido, e no entanto, sua imobilização restava intacta, então, em um último ato de resistência ele buscou empurrar a bola com sua língua tentando se desvencilhar daquela enorme mordaça que preenchia seus lábios e sua boca, mas este gesto também restou inócuo.
As sensações de frustração, vulnerabilidade e ansiedade tomaram seus pensamentos, e por instinto ele começou a pedir por ajuda:
- "MMPPHPPPHHMMMHM, MMMPPPPHHMHMH, MMMMMMPPPPPHHHH!"
Passaram-se alguns minutos e nada. Gustavo então aumentou a intensidade:
- "MMMMPHPHPHPHPPHPHPPHPHPHPPPHPHPHPHPHPHPHPHP!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!"
Silêncio.
A cada minuto que passava sem respostas, a ansiedade de Gustavo na escuridão se amplificava, assim como as lamúrias e pedidos de ajuda que ele gritava amordaçado.
- "MMMPHPPHPPHPHPHPMHMHMHPHPHPHPHP! MMHPPHPPHPMMPPPPHHHHHH!"
Mas nada aconteceu.
Gustavo então parou, seu coração estava palpitando devido a ansiedade, sua respiração era rápida, seu medo era real, estava abandonado, e assim, imóvel na escuridão ele permaneceu.
O silêncio foi quebrado pelo barulho de passos e o click de um interruptor que ligou a luz do local onde ele se encontrava.
Em princípio ele ficou cego pela súbita luminosidade, transcorridos alguns segundos, a medida que seus olhos se ambientavam, a visão de sua esposa Sara se materializou diante de seus olhos.
Sara calçava botas de couro pretas, vestia uma calça de lycra preta metalizada e uma blusa cinza chumbo que marcava seus seios, seu cabelo estava impecável e a maquiagem era elegante e sóbria.
Gustavo piscou os olhos algumas vezes como alguém que não acreditava naquela visão, Sara fechou a porta atrás de si mesma e caminhou até onde ele estava amarrado, deitado sobre um pano velho no chão de madeira.
Agora já era possível enxergar a sua volta e pelo estilo do local Gustavo percebeu que estava em algum tipo de sótão, tudo era de madeira, era possível ver o formato do telhado, as vigas e a pequena porta de madeira por onde Sara entrou, definitivamente aquela era uma pequena dispensa ou depósito, localizado no sótão de alguma casa antiga, não havia nada a sua volta além das paredes, do teto, do chão e uma pequena lâmpada pendurada por um fio que iluminava o recinto.
Sara parou de pé em frente a Gustavo, que com muita dificuldade conseguiu posicionar-se sentado, mesmo amarrado.
Com um sorriso nos lábios ela então quebrou o silêncio:
- Oi Amor! Então você realmente achou que eu não era capaz de conseguir fazer isso? Eu só precisava de um pouco de ajuda, e verdade seja dita, eu achei Huntress, a ajuda perfeita.
Ela prosseguiu:
- Saiba que não foi nada fácil conseguir encontrar ela, demorei quase 60 dias para conseguir um contato válido através da internet, para falar a verdade já achava que ela sequer existia, mas então um certo dia recebi uma resposta dela, conversarmos via telefone, e depois que contei nossa aposta ela ficou feliz em me ajudar a dar uma lição em você. Você lembra aquele projeto em São Paulo, quando viajei a trabalho no mês passado? Então lá eu pude conhece-la, e sair com ela para jantar, foram algumas noites de conversa.
Sara olhou nos olhos de seu marido e continuou:
- Ela é bem exigente sabe? Foi necessário convencê-la, e para isso, tivemos que sentar e literalmente negociar, digo, negociar você!!! Ela tem regras,  muitas regras...
Ela então acariciou a cabeça de Gustavo enquanto prosseguia a conversa:
- Basicamente ela só aceitou estar aqui se eu cede-se você por completo, isso significa que a decisão até de retirar essa mordaça, e você sabe, não gosto muito de mordaças, agora pertence a ela.
Gustavo grunhiu surpreso:
- MMMPPPPHHH?
Sara então continuou:
- Sim amor, ela foi enfática em dizer que durante o seu sequestro, nossos encontros sempre seriam assim, com você amordaçado, você sabe as regras....
Gustavo ficava a cada sentença mais apreensivo e confuso, afinal Sara estava falando em ceder ele, regras, não poder falar, que tipo de negociação era aquela?
Ela percebeu um pouco de dúvida nos olhos de Gustavo e falou:
- Esse é o meu presente para você Gustavo, depois de todos esses anos te amarrando, com você falando sobre essas suas fantasias, chegou a hora da realidade, e você sabe que eu não poderia fazer isso sozinha. E também eu queria muuuuuuuuuuuito ganhar a aposta, e se você assinou aquele papel, acho que estava buscando por isso ou é muito burrinho.
Um voz feminina vinda do outro lado da porta ecoou: "ACABOU O TEMPO!"

Sara então se agachou e ficou olhos nos olhos com seu marido, enquanto falava:
-Até amanhã Gustavo, só tenho permissão de falar com você 5 minutos por dia, são regras, você vai aprender mais sobre elas a partir de agora...Até mais!
Gustavo estremeceu com aquelas palavras e grunhiu algo ininteligível através da mordaça.
- MMPPPHPHHPHPHPHMM.
Sara então abriu a porta e saiu do recinto. Gustavo ainda pode ouvir parte da conversa antes da porta fechar.
- Você fez um trabalho incrível com aquela mordaça! Não entendi uma só palavra do que ele falava, realmente abafou tudo. "Voz de Sara"
-  Obrigada, mordaças são minha especialidade.... "Voz de Huntress"
"Click" A luz novamente se apagou.
Silêncio.
Ele então tentou gritar:
- MMMMHPPHPHPHPHMHMHMPHP, MMMPOPPPHHHHH,. MMMPPPHHHHHHHH!!!!
Nada aconteceu.
Silêncio.
Escuro.

CONTINUA...

7 comentários:

  1. Caraaa muito bom

    Tem que aumentar para duas postagens por mês ... parabéns mesmo
    Vê o que pode fazer ...

    Ansiedade para os próximos capítulos está grande ..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente seria impossível aumentar o ritmo das postagens... Uma post mensal já é quase um milagre que só está acontecendo devido a ameaça de passar 30 dias trancado ;-)
      Se você está ansioso, imagine o personagem Gustavo, hehehehe

      Excluir
  2. Otimo, seria bom se podesse aumentar as postagens mesmo!! Muito bom!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não posso prometer nada... Mas e bom ouvir que estão gostando.

      Excluir
  3. Sei que vc gosta de bondage e mumificaçao queria o email de sua Dona para dizer a ela como minha Dona me mumifica, e maravilhoso ai se ela gostar poder fazer com vc. E sera uma surpresa pra vc!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Faça uma visita nesse post
      http://casalbondage.blogspot.com.br/2015/01/criacao-do-canal-de-comunicacao-fale.html
      Aqui você encontrará o que procura...
      Pô, agora fiquei curioso, hehehehehe

      Excluir
  4. Curioso para a proxima parte rs...
    Ouuuuu.... sera que alguem ai vai ficar preso na gaiolinha no proximo mes?
    (Espero que seu cinto seja "confortavel") hahha acho q menos mais dias tuh ficara preso rs...
    Att, Icr

    ResponderExcluir